Julho 02, 2022
Slider

Temas das negociações com os bancos são definidos

Nesta quarta-feira, 22 de junho, o Comando Nacional dos Bancários definiu os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional do Bancos (Fenaban).

A Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo (Fetraf RJ/ES) esteve representada por Nilton Damião Esperança, Presidente da entidade.

"Espero que os bancos venham com respostas positivas para as nossas solicitações. Enfrentaremos muitas dificuldades nos temas que enumeramos mas, com certeza, com determinação, união e participação das bancárias e bancários, teremos uma campanha  vitoriosa. Vamos ganhar esse jogo! Unidos, somos fortes", declarou Nilton Damião.

Emprego e terceirização serão os temas tratados na próxima reunião; na sequência, cláusulas sociais e segurança bancária; cláusulas sociais e teletrabalho; igualdade de oportunidades; saúde e condições de trabalho; e duas reuniões sobre as cláusulas econômicas.

 

Antes de entrar na pauta definida para o dia, o Comando Nacional dos Bancários reivindicou o abono das horas negativas das pessoas com comorbidade para as quais o banco não conseguiu viabilizar o trabalho remoto durante a pandemia.

A Fenaban disse que, como as negociações sobre banco de horas foram realizados diretamente com os bancos, fará um levantamento sobre quais são os casos e discutirá a proposta com cada um deles.

O Comando também lembrou sobre a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), com relação à necessidade de negociações com os sindicatos antes de empresas promoverem demissões em massa. O Banco Mercantil do Brasil é um exemplo recente disso.

A Fenaban disse que recebeu ofício da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), com a solicitação, e já está tentando agendar reunião com o banco para tratar do assunto. Ficou de dar resposta à representação da categoria até a manhã desta quinta-feira (23).

O Comando Nacional dos Bancários também solicitou que os bancos trabalhem no sentido de retirar o Projeto de Lei 1043/2019, que propõe a liberação da abertura de agências bancárias aos finais de semana, da pauta de votação.

“Fomos enfáticos ao afirmar que esse projeto é totalmente descabido. Já temos acordos específicos com diversos bancos sobre o trabalho de bancários quando há, excepcionalmente, feirões de negócios nos finais de semana. Abrir as agências aos sábados e domingos não gera emprego, não muda as condições de trabalho dos bancários e não melhora as condições de atendimento aos clientes, que podem utilizar os meios tecnológicos para fazer as movimentais financeiras nesse período. Defendemos que os bancos se posicionem e atuem para retirar esse PL da pauta de votação na Câmara”, enfatizou o diretor do Sindicato dos Bancários do Espírito Santo (Sindibancários/ES) e integrante do Comando Nacional, Carlos Pereira de Araújo (Carlão), que também participou da reunião.

Calendário de negociações:

Segunda-feira, 27 de junho:
Emprego e Terceirização

Quarta-feira, 6 de julho:
Cláusulas sociais e segurança bancária

Sexta-feira, 22 de julho
Cláusulas sociais e teletrabalho

Quinta-feira, 28 de julho
Igualdade de oportunidades

Segunda-feira, 1 de agosto
Saúde e condições de trabalho

Quarta-feira, 3 de agosto
Cláusulas econômicas

Quinta-feira, 11 de agosto
Continuação das cláusulas econômicas

Fonte: Fetraf RJ/ES