Fevereiro 08, 2023
Slider

Itaú aparece entre os favoritos para a corrida de São Pilantra 2011

Os bancários já estão enviando suas indicações para o São Pilantra 2011 que deve se configurar numa das disputas mais acirradas desde o início das manifestações em 1998. Neste ano a “prova” acontece em 28 de dezembro, na Paulista.

 

Entre os favoritos está o Itaú Unibanco, por promover um dos natais mais tristes entre seus trabalhadores. O clima é de insegurança devido ao processo de demissões que atinge principalmente funcionários com longo tempo de casa e prestes a se aposentar, além de pessoas com deficiência.

 

A conduta do banco está sendo combatida pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo por meio de protestos, inclusive com denúncia a organismos internacionais como o Ponto de Contato Nacional (PCN) da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

 

No cenário nacional são lembradas figuras como José Serra (indicação “turbinada” depois das denúncias publicadas no livro A Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro), o governador Geraldo Alckmin, o prefeito Gilberto Kassab e o deputado Sandro Mabel, autor do projeto que amplia a terceirização.

 

Boas cotações têm o cartola Ricardo Teixeira, o PIG – Partido da Imprensa Golpista, os lotados metrôs e ônibus urbanos. E ainda o leão do imposto de renda, o interdito proibitório, a insegurança pública, a Contax (empresa de terceirização) e a Zara, por conta do trabalho escravo flagrado em sua rede de produção.

 

Para indicar seu favorito basta clicar aqui e enviar mensagem por meio do , colocando “São Pilantra 2011″ no espaço destinado ao assunto.

 

“Premiados”

O protesto organizado pelo Sindicato já está na sua 14ª edição. Em 2010 o laureado foi o “Papai Noel dos Deputados” que presenteou os parlamentares federais e estaduais com aumento de 62%. Em 2009, o “Perfeito Taxab” ficou com o primeiro lugar.

 

Em 2008, foram três grandes premiados: o governador José Serra, por vender a Nossa Caixa; o prefeito “Nunkassabe”, pelo veto à lei que obrigava as portas de segurança nas agências, e a presidenta da Caixa, Maria “Ferranda”, por descontar os dias parados na greve daquele ano.

 

O primeiro título, de 1998, coube ao banco Mercantil, por não pagar a PLR devida. Depois o Unibanco esbanjou “talento” para garantir três “conquistas” (1999, 2000 e 2002), sendo que em 2000 dividiu o título com o juiz Lalau.

 

Em 2001 o vencedor foi Paulinho, presidente da Força Sindical, por atuar a favor da flexibilização dos direitos dos trabalhadores. Em 2003, o Banco Real (hoje Santander), que demitira 190 pessoas às vésperas do Natal.

 

Em 2004 foi Edemar Cid Ferreira, do Banco Santos, por prejudicar mais de 800 funcionários. Já em 2006 o prêmio foi dividido entre os ex-governadores Cláudio Lembo e Geraldo Alckmin, pela péssima administração da Nossa Caixa.

 

O vereador Dalton Silvano (PSDB) foi o vencedor em duas competições, 2005 e 2007, pelo mesmo motivo: querer retirar as portas de segurança das agências.

 

Fonte: Seeb São Paulo